ÍCONES DE PORTUGAL

Património de Portugal

Lordelo do Ouro – Porto

Posted by mjfs em Agosto 20, 2007

 HISTÓRIA DA FREGUESIA 

  

Enquadramento Histórico e Geo Social

Freguesia de Lordelo do Ouro estende-se por uma superfície de 3,4 Km2 e fica situada na parte ocidental da cidade do Porto, sendo geograficamente limitada a Norte, pela Freguesia de Ramalde; a Sul pelo Rio Douro; a Este, pelas Freguesias de Massarelos e Cedofeita e, por fim a Oeste pelas Freguesias de Aldoar e Foz do Douro. Considerada uma das freguesias periféricas da cidade Invicta, esta encontra-se bem colocada, na medida em que, estando perto do centro consegue afastar-se de todo tipo de inconvenientes característicos das grandes urbes.
A primeira referência relativa á área abrangente da freguesia de Lordelo do Ouro, remonta ao século XII, mais concretamente ao ano de 1144. Pertencendo ao julgado de Bouças, Comarca da Maia do Bispado do Porto, Lordelo do Ouro é, por decreto-lei de 26 de Novembro de 1836, integrado no Concelho do Porto. Contava então, com cerca de 2.000 habitantes.
Localizada no ponto de contacto entre o rio e o mar, Lordelo do Ouro era tipicamente lugar onde imperavam a marinhagem, a pesca e a construção naval como actividades principais. E de salientar que foi dos estaleiros do Ouro que saíram grande número de Naus da frota que partiu à conquista de Ceuta. Este bravo feito está testemunhado pelo monumento situado no Jardim do Calém, de autoria de Lagoa Henriques, que pretende homenagear todos os portuenses que contribuíram paro tal conquista.
A esta actividade marítima deve-se também a construção de monumentos religiosos, como é o caso da Capela de Santa Catarina e a Capela setecentista de Nossa Senhora da Ajuda, construídas em locais elevados, a mando dos marinheiros, seus devotas, de forma a serem avistadas desde a entrada da barra do Rio Douro.

No século XIX, Lordelo do Ouro assistiu à implementação de algumas unidades industriais de certa importância para a freguesia. Foi o caso da Companhia de Fósforos e da Fábrica de Lanifícios Lordelo, hoje desactivadas. Actualmente, Lordelo do Ouro é cada vez mais um espaço de pequeno comércio e serviços, resultante sobretudo do processo permanente de transformação do tecido económico e, fundamentalmente, uma zona residencial.
Na verdade, nas últimas décadas foram aqui construídos nove Bairros de Habitação Social, que alojam cerca de 10.500 pessoas, grande parte deslocada do Centro Histórico e comercial da cidade, situação que se verifica sobretudo durante as décadas de 70 e 80, com todas as consequências decorrentes de uma mobilidade forçada. Refira-se, por exemplo, que, em 1950 a população residente em Lordelo era de 10.260, ao passo que em 1991, e de acordo com os resultados do último censo, o número de habitantes era já de 22,421.

História da integração no Concelho do Porto

ACTA DO OFÍCIO ENVIADO PELA JUNTA À CÂMARA DE BOUÇAS

“A junta de Paroquia desta freguesia tendo recebido representações dos Povos da mesma Freguesia sobre a inconveniência de serem-lhes obrigados a irem a Mathozinhos pagarem ao recebedor do Conselho a importância das suas respectivas verbas de décima e impostos anexos, o que os obriga, a perder dias de trabalho e a sofrerem outros incómodos pois que muitas vezes o recebedor não está em caza ou não se prontifica ou não pode receber pela affluencia de outros contribuintes e ocupaçoens do seu ministério, por todas esta rezoens roga a V.V.S.S.ª, se sirvão reprezentar ao Governo de S. Magestade para que se sirva autorizar alguma pessoa idonea e abonada dentro dos limites da mesma Freguezia para que receba as sobreditas dêcimas e impostos anexos dando depois conta aos contribuintes hum incomodo e prejuizo muitas vezes superior às quantias que elles pagão.

Deos Guarde a V.V.S.S. Lordello do Ouro em Junta de Paroquia 7 de Agosto de 1836″

ANO DE 1836 DECRETO LEI QUE INTEGRA LORDELO DO OURO NA CIDADE DO PORTO

“Não sendo possível sem uma melhor divisão do território tirar todas as vantagens que devem de resultar da organização de um bom sistema Administrativo e sendo presente o trabalho das Juntas Gerais Administrativas dos Direitos, e parecer da comissão creada por portaria de 29 de Setembro passado, hei por bem decretar provisoriamente o seguinte:

ARTIGO 1.º

O Território Continental do Reino de Portugal e Algarves, fica dividido em 17 Distritos Administrativos actualmente existentes, compostos de 351 Conselhos designados nos mapas respectivos que fazem parte do presente decreto e cujo resumo baixa assignado pelo Secretario d’ Estado dos Negócios do reino.”

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

 
%d bloggers like this: