ÍCONES DE PORTUGAL

Património de Portugal

Castro São Vicente da Chã

Posted by mjfs em Novembro 20, 2007

Photo Sharing and File Hosting at Badongo.com Photo Sharing and File Hosting at Badongo.com Photo Sharing and File Hosting at Badongo.com Photo Sharing and File Hosting at Badongo.com Photo Sharing and File Hosting at Badongo.com

IMPLANTAÇÃO E ACESSOS

Nas cabeceiras do Alto Rabagão, num relevo em esporão, quase inteiramente circundado pelo curso de água, encontra–se o castro de S. Vicente, na freguesia da Chã. Apesar de a sua altitude ser pouco saliente (898 metros), face às montanhas circundantes, ocupa uma posição central. Além disso possui uma excelente visibilidade sobre o planalto envolvente. Actualmente o povoado mal se destaca devido à mancha da grande albufeira de Pisões.
Saindo de Montalegre deve tomar–se a estrada em direcção a Chã e à EN 103. Passados 4’2 km (4 minutos), chega–se à povoação da Chã, devendo tomar–se a direcção de Boticas e Chaves. Cerca de 400 metros adiante deve cortar–se à direita, até à sede da Junta de Freguesia. A partir deste ponto o trajecto deverá efectuar–se a pé, ou em viatura todo–o–terreno, seguindo o caminho na direcção da margens da albufeira de Pisões.

O QUE VER

O castro de S. Vicente conserva parte das suas três linhas defensivas, bem como um impressionante fosso que o circunda de forma total. A Norte ainda se observa uma porta de acesso ao povoado. Tudo indica que o castro, possível sede de um povo, se tenha desenvolvido sobretudo na plataforma superior da colina, dentro dos limites da segunda muralha. Aí se vêem alicerces de casas de aparelho castrejo, assim como muros de suporte do nível de circulação do habitat. O povoado cinge–se ao cabeço, à excepção de um prolongamento da muralha externa para uma rechã natural. Neste local, parcial e sazonalmente coberto pelas águas da albufeira, apenas se conserva um ténue alinhamento da muralha externa. Distinguem–se, aqui, vestígios de estruturas, fragmentos de cerâmica e pedaços de escória de ferro. Tudo indica que o povoado teria uma área urbana extensa, incluindo um sector com evidente actividade metalúrgica. Os vestígios patentes no local remontam à Idade do Ferro, sendo escassos os indícios de romanização, embora a pouca distância do povoado, para Norte, se conserve o traçado da via romana XVII. O sítio foi estudado por Santos Júnior que pôs a descoberto as construções observáveis.

Castrenor

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

 
%d bloggers like this: