ÍCONES DE PORTUGAL

Património de Portugal

Edifício da antiga garagem, cocheira e cavalariça da casa de António Santos Jorge – Cascais

Posted by mjfs em Dezembro 19, 2007

Photo Sharing and Video Hosting at PhotobucketPhoto Sharing and Video Hosting at Photobucket

 

O desenvolvimento de Cascais, iniciado nas últimas três décadas do século XIX com a presença da corte e com o hábito de “ir a banhos”, repercutiu-se nas áreas envolventes que beneficiaram, já no reinado de D. Carlos, de novas vias de comunicação, entre as quais se destaca a linha de caminho de ferro, a funcionar desde 1889. O Estoril, e o seu casino, foram um pólo fundamental, em torno do qual gravitou uma nova sociedade burguesa, com hábitos de veraneio que se reflectiram no urbanismo e na arquitectura do concelho.
A casa de António Santos Jorge, implantada junto à linha férrea desde 1896, destaca-se pelo imponente edifício das cavalariças e cocheiras, cujo projecto, da autoria de Norte Júnior, data de 1914. Já a habitação, de volumetria tradicional e fachada lateral aberta ao mar, apresenta decoração muito sóbria. Crê-se que o plano de Santos Jorge era bastante mais ambicioso, e incluía a reedificação da casa, segundo o modelo das cavalariças, mas o projecto nunca chegou a ser concretizado.
Assim, é o edifício das cocheiras que ainda hoje se impõe na leitura desta faixa urbana, destacando-se a fachada de gaveto, aberta por uma porta em arco de volta perfeita, e com uma varanda apoiada em carrancas, a que se sobrepõe um arco flanqueado por duas colunas. É o alçado de maior riqueza decorativa, revelando bem o estilo ecléctico de Norte Júnior, e a sua aprendizagem parisiense na Escola de Belas Artes. Este gosto de influência francesa é visível noutras habitações da linha do Estoril, mas o edifício das cocheiras Santos Jorge é o seu expoente máximo, filiando-se nos modelos traçados por Charles Garnier para a ópera de Paris, mas principalmente, para o Casino de Monte Carlo. 
Por outro lado, o início das obras de remodelação da sua casa de verão pela área das cavalariças, denota o sentido de veraneio da época “como se o conforto burguês devesse ceder aos encantos inesperados de um provisório abrigo. E um gosto exótico, pessoal e indisciplinado livremente decidisse vestir as cocheiras com os ornatos habituais de um palácio”.

Photo Sharing and Video Hosting at Photobucket

(Fonte: IPPAR)

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

 
%d bloggers like this: